Blue Bell Foundation

blue-bell

Esta é a The Blue Bell Foundation for Cats, um paraíso para felinos aposentados! A fundação abriga cerca de 50 gatos, todos bem instalados numa casa aconchegante com pátio ao ar livre. Ao todo são 2 hectares, e para gatos com necessidades especiais há uma casa em anexo. Alguns gatinhos vão para lá porque seus companheiros humanos morreram. A maioria viverá o resto de suas vidas na instituição e somente alguns estão disponíveis para adoção.

A Blue Bell fornece uma solução alternativa para um abrigo tradicional e a maioria dos gatos que estão lá não é capaz de se readaptar fora dela. Esta é uma casa que fornece um ambiente livre de gaiolas, onde os gatos ficam em aconchegantes cestas para dormir tem e altas prateleiras para escalar. Lá eles recebem uma dieta de qualidade, convivem com voluntários amorosos que visitam a instituição e recebem cuidados veterinários para a prevenção e tratamento de necessidades médicas.

A Blue Bell iniciou na década de 60, quando Bertha Gray Yergat abriu sua casa como um abrigo temporário para cuidar dos gatos de amigos. Bertha amava demais os animais, principalmente gatos, e preferia levá-los consigo ao invés de vê-los em abrigos. Para garantir a assistência continuada após sua morte, Bertha estabeleceu um conselho de administração, e em 1989 a Blue Bell se tornou uma fundação que sobrevive com a generosidade dos cidadãos em causa solidária. O pequeno fundo que Bertha deixou após sua morte foi utilizado após um deslizamento de terra que destruiu sua antiga casa em 1998. Hoje, os novos habitantes felinos devem ter um patrocinador  para apoiar seus cuidados continuados.

“Blue Bell” é o nome de um dos gatos de Bertha, que usava um sino azul em volta do pescoço. Abaixo, conheça a fundação e alguns dos gatos felizes que vivem lá:

Colhido em: SOS Gatinhos
Não abandone seu animal. Proteja-o assim como você gostaria que fosse protegido.

One thought on “Blue Bell Foundation

  1. Que foda cara!
    Tinha que ter esse tipo de coisa aqui no Brasil… =/
    Mas nem os bichos que estão no auge da idade são cuidados, imagina uma atenção à seção geriátrica… Aliás nem a seção geriátrica humana recebe tantos cuidados…

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>