Category Archives: Fotografia

Mãos ao alto!

Ausdruck

A estudante da Universidade de Weimar, Franziska Dierschke teve uma boa ideia em seu projeto “Aimat-gezielt fotografieren”: colocou uma mini-câmera digital dentro de uma pistola de plástico funcionando como uma pinhole. Sem o visor, o que importa é a ação praticada e não a expressão do fotografado. Mesmo sendo de plástico, a forma da câmera irrita, agita e não deixa de ser ameaçadora, pois brinca com as associações e sentimentos despertados de cada um.

Ausschnitt

Aquário

karina zen

Acontece na Galeria Arquipélago em Florianópolis, a exposição Aquário, resultado da pesquisa da artista e fotógrafa Karina Zen, que trouxe para o momento do ato de fotografar a idéia de que dois registros de tempo podem conviver em um mesmo tempo de exposição, transformados em cenas nas quais passamos a acreditar que são reais e não apenas um mero registro.

Karina relata que as fotografias surgiram dentro de um quarto todo fechado, onde a única luz que chegava era aquela das frestas da janela e da porta, situação parecida com a que acontece dentro da “caixa preta” do aparelho fotográfico, permitindo assim, um longo tempo de exposição.

Utilizando o aparelho fotográfico com uma objetiva zoom, a artista iniciou o processo uma lente em distância focal menor, tendo os objetos fotografados mais distantes e depois da metade da exposição feita nesta posição, puxou o zoom para uma distância focal maior, aproximando a imagem. A superfície sensível que registrou as cenas ficou imóvel, mas com a competência de ter registrado os dois momentos em um único abrir do diafragma.

Karina subverte a ordem do que seria um procedimento lógico de um fotógrafo com seu aparelho fotográfico. Vale à pena conferir!

Animal child

kitty

Bestia parvulus ou “criança animal” é uma série de imagens que mostram crianças usando máscaras de animais. A autora Pamela Klaffke é fotógrafa e romancista, e trabalhou também como estilista e produtora de cinema e vídeo. Pamela tem suas fotografias publicadas em revistas de arte internacional, e as imagens de seu Bestia Parvulus foram licenciadas pela marca de moda Diesel.

Pamela é fundadora e diretora da Secret Society of Analogue Art, uma organização que encoraja a criação da fusão analógica e digital nos meios de comunicação, oferecendo uma série de desafios sobre arte participativa na sociedade, com por exemplo, o projeto creepywonderful.

Com exceção da foto cuniculus (coelho), fotografada com filme 120 Agfa vencido, a série Bestia parvulus foi realizada com filme fujichrome Astia 120 em cross-processed, e com uma câmera Holga.

Veja aqui o flickr da autora.

surprise

Revista Mafuá

revista mafua

A Mafuá é uma revista de literatura voltada para a publicação de trabalhos exclusivamente de alunos de graduação. Pela falta de veículos dispostos a incentivar e publicar a produção de artigos e ensaios escritos por graduandos, a revista é uma iniciativa que contribui para a prática de pesquisa e de elaboração de textos críticos dos alunos de Letras.

Disponível apenas em formato eletrônico, a revista é idealizada por bolsistas e pesquisadores do Núcleo de Pesquisas em Informática, Literatura e Lingüística (NUPILL) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Em sua décima edição (outubro de 2008), a revista homenageia Machado de Assis no ano de centenário da sua morte. Este número inaugura a seção Metafrasis, com a tradução para o português (do professor Alckmar dos Santos) de um soneto de Luiz de Góngora, datado de 1584. Há também ensaios sobre literatura alemã, as seções Entrevista e Obra Rara, com o conto Magdalena (autoria atribuída a Machado de Assis), publicado no periódico A Marmota, do Rio de Janeiro, em 1859.

A revista conta também com a seção Criações, onde quatro autores participam desta edição: Adriana Zapparoli, J. Alex Sartorelli e Heron Moura contribuem com seus poemas; e eu, Leila Lampe com a criação visual Lugares e Não-lugares, sobre a Estação Ferroviária de Rio Negrinho, SC.

– – – – – – –

Agradeço à Tecia Vailati pelo gentil convite para participar desta edição da Mafuá.

A nova Ciberarte

ciberarte-n06

A sexta edição da Ciberarte, publicada no final de 2008, ganhou um projeto gráfico completamente novo, mais limpo, organizado e dinâmico. O novo design aposta em um tipo de navegação simples, objetiva e acessível, com uma interface preemptiva, que diminui a quantidade de clicks para chegar ao conteúdo desejado.

Na sexta edição da Ciberarte você poderá acompanhar o som dos fluidos, a música para poucos, os espaços coletivos e esquecidos, o lesbianismo nos quadrinhos, o admirável mundo novo, a recusa da guerra, o capitalismo infernal de Wall Street e o entulho planetário habitado pelas baratas…

Colhido em: 11 Pixels

Underground… and ground

Se você quer passear pelas estações de metrô da capital londrina e arredores sem dar um passo, uma boa dica é visitar o flickr do autor desconhecido Bowroaduk. Seu projeto para 2008 é fotografar cada estação Underground, bem como seus exteriores em boas condições de iluminação.

O registro fotográfico de Bowroaduk é fantástico porque além das fotos das novas estações, há também as estações antigas, como as Leslie Green stations, de 1900; os Tube Stocks, de 1938; clássicas e modernas sinalizações; os roundels das plataformas e os depósitos ferroviários. O fotógrafo anônimo ainda estende seu olhar para as construções vitorianas e vai além com o SPT de Glasgow e o U-bahn de Berlim. Recomendo tempo e fôlego extra para apreciar todas as fotos, pois ir até Londres e passear pelas suas estações sem sair da cadeira requer no mínimo paciência.

O interesssante e curioso sobre este fotógrafo é como ele consegue tirar todas as fotos sem uma única alma humana, exceto pelos condutores. Será ele um funcionário do Underground?

E pesquisando mais sobre o mesmo assunto, cheguei até o blog coletivo London Underground, com dicas, reflexões e muitas fotos das pessoas que habitam os subterrâneos ingleses. Diferente da paisagem e arquitetura monocromática das estações vazias, as fotos deste blog são muito coloridas e divertidas, ainda mais quando a atenção é para aqueles que se sobressaem na multidão. Lá você também verá os adesivos Wake me up at ilustrados abaixo, uma idéia útil para tornar o cochilo mais tranquilo durante o percurso.

E terra acima, para quem aprecia os estilosos Red Route Buses, Matthew Wharmby coleciona belas fotos dos ônibus que estão ou saíram de circulação.

Bom passeio!

Diário compartilhado de todas as manhãs

De manhã, antes que as atividades do dia comecem, é o tempo ideal para se fazer uma pausa. Stephanie Congdon Barnes, designer que vive em Portland, Oregon (EUA), relata que sua primeira ação de todas as manhãs é ferver a água para o café. Maria Alexandra Vettese, artista gráfica que vive com seus dois gatos em Portland, Maine, relata que em seus sonhos está sentada à mesa de uma sala quente escrevendo cartas à mão. São 3.191 kilômetros de distância entre estas duas mulheres que, no dia 1º de janeiro de 2007, iniciaram uma conversa fotográfica quase que diária.

3191, A Year of Mornings é um diário fotográfico onde as duas amigas virtuais tiraram fotos de objetos do cotidiano. O blog terminou em 31 de dezembro de 2007 e o projeto foi transformado em livro, publicado pela Princeton Architectural Press. O livro contém 236 imagens, sempre tiradas antes do meio-dia, sem qualquer combinação entre as duas, cuja amizade é mantida exclusivamente online. As fotografias irradiam uma aura de doçura e promessa de um novo dia, como uma simples visão pela janela num dia nublado ou uma toalha combinada com algum objeto sobre a mesa.

Agora, as duas amigas partilham outro projeto: 3191, A Year of evenings, outro relato fotográfico sustentado por momentos de serenidade, solidão e tranquilidade entre olhares distantes.

Vegan YumYum

Vegan YumYum é um dos sites mais bonitos sobre comida que já encontrei na internet. E o mais legal: são todos pratos vegan! Muitos acham que comida vegetariana é comida sem gosto e sem sal. Lolo, a criadora de todas essas delícias, mostra que é possível inventar saborosos pratos com diversos ingredientes sem precisar necessariamente de carne.

Vegan YumYum surgiu depois que Lolo decidiu sair de seu “day job” para se dedicar a escrever um livro sobre culinária. Ela não é chef, nunca frequentou uma escola de gastronomia e também não é fotógrafa profissional. Entretanto, sempre gostou de cozinhar e desde que se tornou vegetariana, a cozinha tem sido seu lugar preferido dentro da casa.

Muitos fãs dos pratos da Lolo perguntavam como ela conseguia tirar fotos tão bonitas dos pratos que executava. Alguns dias atrás, Lolo colocou um post bem esclarecedor, com várias dicas sobre “fotos de comida para bloggers”. Neste post, ela mostra que não há muitos segredos envolvidos no processo, desde a escolha das louças (na dúvida, o branco combina com tudo), até como escolher o melhor background para cada prato preparado.

Um prato cheio para quem gosta de fotos e comidinhas diferenciadas!

Melting Away

As fotos que ilustram este post são parte do projeto “Melting Away”, de Camille Seaman, uma norte-americana descendente de índios Shinnecock e criada numa pequena reserva em Long Island, no estado de Nova York. A fotógrafa obteve sua formação profissional ao lado de Steve McCurry (National Geographic), Sebastião Salgado entre outros.

Seaman descobriu o extremo norte do planeta em 1999 em viagem ao Alasca. Mais tarde, ela e alguns membros da família viajaram para uma geleira do Ártico norte (Noruega) e esta viagem, por sua vez, inspirou outra viagem para uma geleira na Antártida, em 2005. Lá, viu o seu primeiro iceberg. Mais tarde, Seaman fez outra viagem a uma geleira russa, sempre fotografando icebergs como um baú de tesouros, onde capta a sensibilidade do mundo exterior com a sua própria. Para Seaman, o objetivo é mostrar a individualidade dos icebergs como “brilhantes massas de tempo e experiência”.